fbpx
19 C
Belo Horizonte
segunda-feira, 18 / janeiro / 2021

“Adios Diego”: Maradona é enterrado e mundo chora a perda

Mais Lidas

Revista Cosmopolitan coloca duas brasileiras entre os bumbuns mais belos do Instagram

A revista Cosmopolitan fez uma lista com os 55 bumbuns mais belos do Instagram.

PIB da construção civil deve crescer 4% em 2021

Expansão do setor pode ser a maior desde 2013

Laboratório identifica possível origem do vazamento de óleo nas praias do Nordeste

Pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) analisaram durante meses manchas de óleo no Golfo da Guiné, a 200 km de Camarões, na África, e acreditam que elas podem explicar a tragédia, que completa um ano no final do mês ainda sem respostas

O Maravilhoso Espetáculo VIANOVA E OS VIAJANTES DO ESPAÇO no ginásio do Ibirapuera em SP

Você que está em São Paulo, a partir do dia 11 de setembro, que tal viajar pelo espaço sideral sem sair do...

O argentino Diego Maradona, um dos maiores jogadores de futebol da história, foi sepultado nesta quinta-feira (26) enquanto o mundo todo mostrou seu luto pela perda, desde as ruas de Buenos Aires à cidade de Nápoles, na Itália.

A morte de Maradona aos 60 anos na última quarta-feira (25), após uma parada cardiorrespiratória, provocou tanto o luto quanto as celebrações a uma verdadeira estrela do esporte, um gênio em campo, mas com uma vida marcada por dificuldades provocadas pela dependência química.

Em um dia de grandes emoções, o campeão mundial pela Argentina foi levado em um carro funerário na noite desta quinta-feira para o cemitério de Bella Vista, nos arredores de Buenos Aires (onde seus pais também estão enterrados) para uma cerimônia de familiares e amigos próximos.

Milhares de argentinos encheram as ruas enquanto a procissão passou no trajeto de uma hora que partiu da Casa Rosada, o palácio presidencial no centro de Buenos Aires, onde o caixão com o corpo de Maradona ficou exposto ao público durante o dia.

Veja momentos marcantes de Maradona:

Mais cedo, confrontos entre a polícia e admiradores e uma atmosfera febril, mais similar a um jogo disputado de futebol do que a um velório, marcaram o dia, com os torcedores se amontoando próximos às grades do palácio para chegar o mais perto possível de seu ídolo.

Na Itália, uma multidão amarrou seus cachecóis azuis e brancos às grades de seu ex-clube, o Nápoli, enquanto na França a primeira página do jornal esportivo L’Equipe disparou: “Deus está morto”.

Na Argentina, foi decretado luto nacional de 3 dias em homenagem ao jogador que liderou a seleção do país ao título da Copa do Mundo de 1986, e que é reverenciado como uma figura religiosa. Dezenas de milhares foram às ruas, muitos sem máscaras faciais apesar dos temores com a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Alguns deixaram flores e mensagens na casa onde o jogador passou sua infância.

“Maradona para mim é a melhor coisa que aconteceu em minha vida. Eu o amo como amo meu pai, e é como se ele mesmo tivesse morrido”, disse Cristian Montelli, de 22 anos, um torcedor do ex-clube de Diego, o Boca Juniors, com lágrimas nos olhos após passar pelo caixão do astro. “Se eu morrer jovem, com sorte lá em cima posso jogar bola e assistir a um jogo do Boca com ele”, acrescentou Montelli, que tem o rosto de Maradona tatuado em uma perna.

- Publicidade -

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Últimas Notícias

Só nas últimas 24h MG registra 120 óbitos por covid-19

Minas Gerais chega a quase 11 mil mortos por corona

Governador determina que PM intensifique fiscalização nas festas de fim de ano

governador Romeu Zema (Novo) convocou a Polícia Militar de Minas de Gerais (PMMG)

Renovação de CNH já pode ser solicitada pelo MG app

Mais de 70 serviços do Governo de Minas são disponibilizados no aplicativo

Anvisa certifica farmacêutica chinesa que desenvolveu CoronaVac

Resolução foi publicada hoje no Diário Oficial da União

Anvisa inspeciona voos procedentes do Reino Unido

Medida é para evitar propagação da variante do coronavírus